RUGBY – UM PRODUTO VÁRIAS MARCAS

OS ÚLTIMOS ANOS FORAM IMPORTANTES PARA A AFIRMAÇÃO DOS SEVENS como uma das mais valiosas marcas do Jogo de Rugby.

E este é o principal conceito que se destacou na primeira década do século XXI e que importa ter presente, para acabar definitivamente com as falsas oposições entre rugby de XV e rugby de VII, ou entre rugby de XIII ou rugby de X, beach rugby ou touch rugby, os avançados ou os três quartos, os gordos ou os magros, os puros ou os impuros.

Existe um único Jogo, um único produto – o Jogo de Rugby, seja ele disputado por jogadores amadores ou jogadores profissionais.

E este Jogo – o nosso Jogo – apresenta diversas “marcas”, cada uma com as suas particularidades, com a sua imagem junto do público, com uns que preferem uma, outros que preferem outra.

A propósito convém esclarecer que nem sempre o rugby se jogou de XV, ou o ensaio valeu cinco pontos.

Na verdade o Jogo de Rugby é um produto vivo, e alterações podem SEMPRE acontecer, da mesma forma que antes de 1871 não havia limite estabelecido para o número de jogadores, que entre 1871 e 1877 a norma nos jogos internacionais era de 20 jogadores em cada equipa, e apenas no Inglaterra-Irlanda de 1877 se passou a utilizar o 15 como sendo o número oficial de jogadores.

Outra demonstração da sua vitalidade está no esquema de pontuação, que no início não dava qualquer valor ao ensaio, apenas o direito a tentar um pontapé aos postes, para depois valer apenas como factor de desempate, caso o numero de transformações fosse igual, e só em 1886 passou a valer um ponto, com o ensaio transformado a valer três.

Em 1893 o ensaio passou pela primeira vez a valer três pontos e o ensaio transformado cinco, para em 1971 passar a valer quatro pontos e a transformação dois.

O actual sistema de cinco pontos para o ensaio é muito recente, tendo sido introduzido na época de 1992-93.

E eu desafio seja quem for a dizer que o rugby praticado em 1871, 1877, 1886, 1893, 1948 ou 1971 era menos rugby que o praticado hoje.

Da mesma forma que desafio quem quer que seja a garantir que no futuro se manterá o esquema de 15 jogadores, ou do ensaio a valer cinco pontos.

E que, a acontecer alguma alteração nestes particulares, o rugby deixará de ser rugby e o ensaio deixará de ser ensaio.

Convém ainda esclarecer que se joga rugby de VII desde 1883, e de XIII desde 1906, que a questão do amadorismo/profissionalismo é tão antiga como o próprio rugby organizado, e que levou à criação da Northern Rugby Football Union em 1895 em oposição à Rugby Football Union.

Para terminar, é bom que não se esqueça que o rugby de VII nasce da crise financeira que os clubes escoceses atravessavam na época, e na solução que foi encontrada para atrair mais espectadores ao Jogo e assim mais dinheiro.

Sem pretender corrigir ninguém, atrevo-me mesmo a dizer que o rugby de VII está na gênese do rugby como desporto que arrasta multidões.

E é isso precisamente que o rugby de VII pode fazer em Portugal – atrair multidões para o Jogo de Rugby, e com isso mais apoios, mais patrocínios, mais dinheiro.

MELROSE F.C. - VENCEDOR MELROSE 7'S 1883

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: