COMO VAI SER O RUGBY SEVENS NOS ESTADOS UNIDOS?

ENQUANTO EM PORTUGAL A TEIMOSIA EM EXCESSO SE ESTÁ TRANSFORMANDO EM BURRICE, nos Estados Unidos a Federação de Rugby tem trabalhado com o Comité Olímpico no desenvolvimento de um plano de alto desempenho da modalidade.

Nigel Melville é o CEO da Federação Americana de Rugby, e o texto que apresentamos a seguir foi publicado recentemente no seu blog, já que naquelas paragens as pessoas vão sabendo da boca de quem decide, o que se está a passar.

NIGEL MELVILLE DIRECT

Durante os últimos meses tenho trabalhado com o Comitê Olímpico dos EUA (USOC) para desenvolver um plano de sevens de alto desempenho.

Quando finalizado este plano será posto à consideração da Unidade de Alto Desempenho do USOC, criticado e serão definidos futuros níveis de apoio ao rugby sevens nos E.U.A.

Com pouco mais de um ano até aos jogos Pan Americanos, nós gostaríamos de pensar que podemos avançar com o nosso plano mais cedo (em preparação para os Jogos Pan-americanos 2011) do que mais tarde – o próximo quadriênio olímpico que se inicia em 2012, após os Jogos de Londres.

No recente Congresso da Federação de Rugby dos Estados Unidos esboçamos as alterações estatutárias exigidas pelo USOC para nos alinharmos com eles e, claro, o interesse deles no rugby de xv é igual a zero…

Esse desinteresse não é novidade, mas a admissão do Rugby nos Jogos Olímpicos gerou um debate muito acirrado em alguns setores sobre o futuro do jogo nas suas regiões.

Muitos questionam a decisão do IRB de levar o desporto de volta para os Jogos Olímpicos.

Colocando as minhas fichas firmemente em cima da mesa, eu acredito que o facto do rugby se tornar um desporto olímpico é uma coisa boa para o Rugby americano, o anúncio trouxe ao jogo credibilidade instantânea num dos campos de batalha desportiva mais difíceis – o mercado da Juventude.

Aqui os maiores jogadores são as mães e o pais que conduzem os seus filhos a um desporto que forneça oportunidades efectivas de longo prazo para os jovens, sejam elas bolsas de estudo, contratos desportivos profissionais ou a oportunidade de se tornar um atleta olímpico!

Antes do anúncio do Comitê Olímpico Internacional, nós não podíamos oferecer nada disso, os pais ainda carregavam com eles as suas próprias experiências de Rugby – desporto de universitários mal educados, não atletas, cantorias, bebedeiras, para não mencionar nada mais grave.

Não foi por acaso que lançamos uma versão americana de Rugby sem contacto para rapazes e meninas.

Precisávamos mudar a percepção que os pais tinham do jogo e construir uma base sólida para o desporto, e o anúncio do COI surgiu num momento determinante e presenteou-nos com credibilidade instantânea como um desporto global.

Este é um dom que devemos acarinhar e certificar-nos que continuamos a promover uma imagem positiva para o jogo, o seu espírito e benefícios.

Até aí tudo bem, mais de 100.000 crianças em toda a América “pegaram na bola e correram com ela” pela primeira vez nos últimos 12 meses.

O interesse da juventude no jogo continua a crescer, muitos desses meninos e meninas têm um verdadeiro sonho de rugby olímpico, e a adesão está no seu ponto mais alto de sempre.

Nós já sabemos que Rugby Sevens tem desempenhado um papel no desenvolvimento dos jogadores de XV, já que partilham as mesmas técnicas básicas tais como o passe, a corrida, a placagem e a continuidade.

O alinhamento e a formação ordenada são apenas pontos de partida para o jogo e realmente não se assemelham à “coisa real”, (pergunte a qualquer veterano da primeira linha do jogo de XV, se precisa de explicações!), sendo, no entanto, ocasiões de disputa pela posse da bola.

Nos últimos três anos a Federação dos Estados Unidos tem destinado fundos e o apoio de alto desempenho para os programas de sevens.

Em resultado disso, temos melhorado a nossa posição no ranking global  das Séries Mundiais da IRB, muitos dos nossos jogadores de sevens evoluíram e foram internacionais pelo XV dos Eagles e um pequeno número conseguiu contratos profissionais no Rugby de XV europeu.

Estamos qualificados para o Mundial de 2011, melhoramos a nossa posição no ranking Mundial de XV e o Sevens continuou a ser usado como um trampolim para as carreiras internacionais e profissionais de XV – a questão a ser posta agora é como o caminho para os Jogos Olímpicos influenciará, no futuro, aquela evolução.

A nossa equipa feminina de Sevens está actualmente classificada no top 4 do mundo, mas manter essa condição requer financiamento, para poder competir com outras potências tradicionais dos Jogos Olímpicos, como a Rússia e a China, que vêem oportunidades de medalha para as mulheres nos Jogos Olímpicos de 2016.

Apoios para os Sevens femininos serão incluídos no nosso Plano Olímpico.

Em termos de marcas desportivas, Rugby Sevens é uma marca do Rugby juntamente com o Rugby XV, Touch Rugby, Beach Rugby e outros…

Como todas as marcas, estas marcas de Rugby apareceram e são desenvolvidos para criar alternativas de escolha para o consumidor, e no final, os consumidores (jogadores / treinadores / árbitros / fãs / patrocinadores e mídia) vão ter um papel importante na forma como esse mercado se desenvolve.

Na América, nós acreditamos que este é um desenvolvimento significativo e emocionante para o Rugby como um todo.

Os E.U.A. têm uma forte tradição olímpica e vamos trabalhar com o USOC para desenvolver um programa de Sevens de nível mundial para homens e mulheres.

Uma parceria desta natureza nos ajudará a identificar e desenvolver mais atletas de rugby, criar grupos de jogadores mais fortes e proporcionar aos nossos jogadores o apoio da ciência desportiva de classe mundial, apoio médico, melhoria das instalações e da formação de treinadores.

Vamos aumentar o número de eventos de Sevens, continuar a criação de fortes competições de XV, como o nosso novo Men’s College Division I Premier Competition, e aumentar a participação de todas as marcas do jogo.

A disputa pelos lugares nas nossas seleções de homens e mulheres será mais intensa e, como resultado disso o jogo de Rugby vai continuar a crescer.

Assistiremos a uma maior especialização, os jogadores escolherão uma marca do jogo em vez de outra, isso já acontece, mas como os grupos de jogadores vão crescer em número e qualidade, os jogadores seguirão o caminho que lhes proporcione as melhores oportunidades.

Sevens não é para todos, o Rugby é.

Actualmente temos uma excitante jovem equipa nacional de Rugby de 15, a idade média é algo em torno de 23 anos, eles estarão no Campeonato do Mundo de 2011 e a maioria continuará a estar disponível para o Mundial de 2015.

A seleção feminina está em preparação para o Mundial deste ano, e novamente em 2014 – e em 2016 o rugby será um desporto Olímpico!

VOLTAR A PÁGINA INICIAL


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: