1º TÍTULO MUNDIAL PARA O RUGBY PORTUGUÊS!

NUMA CLARA DEMONSTRAÇÃO DA CAPACIDADE das  nossas seleções de sevens, Portugal sagrou-se hoje Campeão Mundial Universitário da Modalidade, no masculino, e ainda trouxe o terceiro lugar das meninas!

Quem, há 18 anos atrás, quando tudo começou na participação portuguesa no torneio de Catânia 92, podia imaginar que, apesar de tantas forças contrárias, tantas adversidades, seria possível chegar aqui.

Ah, já me esquecia de referir os sete títulos europeus conquistados desde 2002!

Se houver vontade e apoios, outros títulos virão!

Mas por hoje festejemos um sentimento raro de satisfação!

PORTUGAL, CAMPEÃO DO MUNDO!!

Tudo começou na quinta feira, com três jogos disputados, e outros tantos na sexta.

Veja aqui todos os resultados e as classificações no final da fase de grupos.

Os desempates na tabela do Grupo C deve tert tido em consideração o resultado entre as duas equipas, naquele mesmo Grupo.

Chegou depois o dia mais desejado, e com seis vitórias na bagagem, Portugal era já o principal candidato à vitória final.

E se a força de espanhóis e russos era já bem conhecida, subsistia a dúvida em relação à representação britânica, que certo site inglês especializado em 7’s apresentava como o principal candidato à vitória, esquecendo mesmo de referir que tanto espanhóis, como russos, canadianos e, especialmente portugueses, não tinham ido ao Porto fazer figura de corpo presente!

Mas, depois de terem conseguido excelentes resultados na primeira fase, os britânicos não aguentaram a força dos russos e sucumbiram às suas mãos.

Quanto aos jogos da nossa equipa, você já conhece o que se passou: Só deu Portugal!

Quanto aos restantes troféus em disputa, vamos começar pelo fim.

As duas piores equipas da competição Líbano e Noruega, encontraram-se para grande satisfação dos libaneses, que se até então haviam marcado 40 pontos, tiraram a barriga de misérias e juntaram mais 59 ao monte.

Os noruegueses, que vinham com um ensaio marcado apenas, assim voltaram para casa, sem honra nem glória que não a de ter participado num extraordinário evento desportivo.

Quanto à Bowl, das quatro equipas apenas a Hungria tinha uma vitória, já que Marrocos, Polónia e a China Taipei tinham conseguido obter duas vitórias cada, na fase de Grupos.

Os húngaros ficaram com a vitória que traziam da fase inicial e perderam os dois jogos realizados nestas finais, guardando a 12ª posição, para mais tarde recordar.

Na Plate, Japão e Canadá apresentavam-se como principais candidatos, e confirmaram isso mesmo derrotando nas meias finais Itália e Bélgica, respectivamente.

Na final, um excelente jogo de rugby!, o resultado esteve incerto até final, apesar de terem sido os canadianos a andar na frente.

Mas, na última bola do jogo os japoneses deram a volta ao resultado e ficaram com o troféu.

CAMPEÕES DO MUNDO 2010Fique você agora com todos os resultados da fase final, e goze bem os números de Portugal!

A constituição da equipa nacional nos jogos de hoje, será publicada assim que a FPR ou algum seu dirigente transmitir os elementos referentes à final. mas fique já com a lista dos nossos Campeões do Mundo!

Quanto à organização já dissemos o que tínhamos a dizer, e hoje tudo correu bem melhor, sinal que poderia ter sido assim desde o princípio.

De referir ainda o esforço que os serviços de imprensa fizeram para conseguirem estar à altura do evento, no que, infelizmente, não parecem ter sido acompanhados pelso serviços responsáveis da informação técnica – resultados, classificações, calendários.

Não tenho ainda nenhum eco da parte dos jogadores, em relação ao piso sintético onde os jogos foram realizados, mas parece que para além de alguns abrazões, e um inesperado cansaço inicial, a adaptação correu sem sobressaltos.

Um aspecto altamente positivo foi a transmissão em direto do evento pela internet, o que permitiu que adeptos, em todo o mundo, acompanhassem o evoluir dos acontecimentos.

De particular destaque a transmissão e comentários dos encontros mais importantes por Bernardo Rosmaninho, num inglês sem mácula, de fazer inveja a muitos…ingleses!

No final, e com a ressalva das críticas feitas em tempo oportuno, uma nota positiva para a organização, que demonstrou que com uma atitude um pouco mais profissional, é possível e desejável ter em Portugal uma etapa das séries da IRB e uma etapa ou a final do Europeu – em nove finais já disputadas, nenhuma se realizou em terras lusitanas, ficando assim os adeptos portugueses inibidos de ver os seus atletas em evolução.

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: