FUTEBOL E RUGBY

NUMA ALTURA EM QUE O CAMPEONATO DO MUNDO DE FUTEBOL entra na sua fase decisiva, será interessante comparar algumas situações de jogo que se verificaram no decurso das etapas anteriores da competção, e compará-las com situações semelhantes que poderão ocorrer no Mundial de Rugby de 2011 na Nova Zelândia.

O tema foi hoje abordado num site brasileiro, Martoni Rugby, e pela sua actualidade resolvi pegar nele também.

António Martoni descreve duas hipotéticas situações, que aqui reproduzo, devidamente traduzida de português para…português…

1ª Situação

Campeonato do Mundo de Rugby, oitavos de final, quem perder esta fora da disputa. A partida está ainda no primeiro tempo, duas seleções poderosas, candidatas ao título, o placar começou com dois ensaios a favor de uma delas, a outra começa uma reação, faz um ensaio e logo no recomeço do jogo após o ensaio, essa mesma equipe, novamente vai para o campo de ataque e a jogada termina em mais um ensaio.

Porém fica uma dúvida: O jogador que estava na posse da bola entrou na área de validação ou não.

2ª Situação

Quartos-de-final do Campeonato do Mundo de Rugby, partida muito equilibrada, o jogo termina empatado, prorrogação com dois tempos, persiste o empate.

Porém no ultimo lance do segundo tempo do prolongamento um jogador escapa da marcação e parte para o ensaio, é só fazer o toque de meta e garantir a passagem da sua equipe para a semi-final, pela primeira vez em sua história.

Nesse momento um adversário tenta ludibriar, conscientemente a arbitragem, derruba o atacante com uma rasteira sabendo que será expulso.

O atacante não consegue, por causa da atitude ilegal e deliberada do adversário, fazer o ensaio.

O que é marcado?

Afinal estas situações são semelhantes a duas outras acontecidas no Mundial de Futebol, que alteraram o curso desportivo da competição.

Para quem não tenha estabelecido a relação, a primeira situação é réplica do que aconteceu no Alemanha-Inglaterra, quando um segundo golo dos britânicos não foi validado pelo árbitro, que deve ter sido uma das poucas pessoas em todo o mundo a não ver a bola entrar…A outra pessoa foi o juiz de linha…

A ser validado, este golo colocaria o resultado, à beira do interrvalo, num empate a duas bolas, e, quem sabe!, a história da eliminatória poderia ser diferente.

Na segunda situação Martoni reproduz o último segundo do Gana-Uruguai, apitado pelo português Benquerença, quando um golo fatal foi evitado por um jogador uruguaio, com o uso voluntário das mãos, sobre a linha final.

E no rugby, como seriam resolvidas as duas situações?

No primeiro caso é utilizado o arbitro de vídeo, que analisa por muitos ângulos diferentes e dá o veredito ao juiz principal da partida, que toma a decisão final, mas agora conhecendo o que realmente se passou, pode prevalecer a verdade desportiva.

E na outra situação o que fica a valer é o espírito do jogo, que não admite batoteiros nem deslealdades, com a expulsão do defensor por jogo desleal e ensaio de penalidade.

Como se pode verificar são duas respostas muito diferentes, para dois problemas muito semelhantes, que deixam bem marcada a diferença que ainda existe entre o rugby e o futebol, e que todos os que na verdade gostam do nosso Jogo devem defender e divulgar, com orgulho por sermos diferentes!

Fonte: Veja mais links em Sites em Português

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

4 Respostas to “FUTEBOL E RUGBY”

  1. Manuel Gaivao Says:

    Já tinha discutido isto com alguns amigos, precisamente desta perspectiva comparativa Rugby-Futebol.

    E a conclusão a que cheguei é que as pessoas que gostam de Rugby consideram a regra que não pune com golo um lance do género uma aberração, já os outros acham que nós somos uns tótós e que há é que aproveitar as regras. A típica mentalidade portuguesa…

    Mentalidades diferentes…para desportos diferentes…e pessoas diferentes…

  2. Antonio Freire Says:

    Artigo muito bom!
    Mas é uma situação muito complexa! Assisti ao Uruguai-Gana num café, com muita gente, e nesse lance a reacção das pessoas foi unânime em defender o jogador que meteu a mão na bola. Ou seja, a batota é aceite no futebol se for usada para defender a sua própria equipa. Eu próprio defendi o jogador, mas tenho a certeza de que se visse um jogador de rugby a rasteirar um adversário antes de este entrar na àrea de ensaio, não iria defender esse jogador e acharia justo a sua penalização de muitos jogos de suspensão. No futebol aceito a batota, no rugby não, ou seja, também estou influenciado pelas diferentes perspectivas que os adeptos têm sobre estas modalidades.
    Qual perspectiva acho mais correcta??? A do Rugby sem dúvida, mas mesmo assim custa-me a acreditar que o futebol siga algum dia o exemplo do Rugby.

    • mrrcabral Says:

      Também não acredito que o futebol venha, algum dia, a seguir o exemplo do Rugby.
      E desejo ardentemente que o Rugby NUNCA siga o exemplo do futebol!

  3. PFM Says:

    Brilhante! O Rugby é o jogo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: