PORTUGAL GANHA SPLIT 7’S

PORTUGAL DEU NESTE FIM DE SEMANA UM PEQUENO PASSO em direção à coroa da Europa em 7’s, ao vencer o torneio qualificativo de Split, na Croácia.

Portugal nada mais fez que cumprir a sua obrigação, e apenas esperamos que esta vitória não suba à cabeça de ninguém, pois não passa de uma vitória sobre adversários medíocres, muito diferentes daqueles que irão encontrar em Moscovo.

Aproveito para lembrar que faz agora um ano, Portugal vencia facilmente os torneios de qualificação para o Europeu, Ostrava e Sopot, também então apenas com vitórias, para chegar depois a Hanover na final e ficar por um miserável 7º lugar.

Isto que digo não é menosprezar a nossa equipa.

Bem pelo contrário.

Estou certo que temos capacidade para conquistar o título europeu.

A dúvida é se teremos “habilidade” para o conseguir.

E a demonstração desta “habilidade” começa por haver uma noção clara do valor dos adversários, das exigências dum torneio final face aos qualificativos, e pela capacidade de manter níveis competitivos entre o dia 13 deste mês em Paphos e o dia 10 de Julho em Moscovo.

Um longo período de descanso, sem a participação em competição, lança sérias dúvidas quanto à organização por trás da equipa, e exige que os jogadores sejam alertados para o perigo da desmotivação, da descontração e do espírito de “praia”, que terão obrigatoriamente que ser combatidos.

Mas voltando a Split, tinha estabelecido alguns objectivos para a nossa participação, e nem todos foram alcançados.

Podem dizer “ah, não marcámos mais de 41 pontos em cada jogo, mas marcámos mais de 30”.

Então a pergunta que faço é simples – e para mim que não assisti ao torneio, terei que fazer fé no que me disserem – será que a nossa equipa se empenhou verdadeiramente a 100% em algum jogo?

Se a resposta for não, então porque não se esforçaram para conseguir melhores resultados?

Mas se a resposta for sim, então metam na cabeça que ainda tem muito caminho para palmilhar até conseguirem marcar mais de 41 pontos em cada jogo.

Poderia fazer a mesma pergunta em relação aos ensaios sofridos, mas deixo isso à consciência de cada um.

E, claro, apesar de não ter sido muito difícil, a equipa está de parabéns pelas seis vitórias e pelos 37 ensaios marcados, com natural destaque para Joe Gardener que, quando lhe dão alguma liberdade, é uma máquina de marcar.

Com esta vitória Portugal marca 18 pontos no ranking para Moscovo, e é a única equipa que pode igualar a Espanha no topo da tabela.

Veja os quadros do torneio, e se quiser mais informações actualizadas da nossa seleção, consulte o Portugal Sevens.

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: