O SÁBADO FINAL!

QUATRO GRANDES FINAIS NO MESMO DIA É UM BRINDE ESPECIAL para todos os que gostam de rugby.

Já falámos de todos estes jogos, mas vamos fazer uma rápida revisão à matéria!

Começamos pela extraordinária Super 14, competição de formato compacto e grande equilíbrio, onde nunca houve um vencedor antecipado, apesar duma certa vantagem obtida – e administrada! – pelos Bulls, que vão ter no seu adversário da final tudo aquilo que eles não queriam.

Na verdade os Stormers vão ser um opositor de grande peso, já que nos últimos sete desafios entre as duas equipas, se registou um empate e seis (!) derrotas dos Bulls.

Mas apesar disso – ou talvez por isso mesmo – a vantagem parece estar do lado da equipa de Soweto que, jogando em casa, não vai facilitar a vida dos seus vizinhos do Cabo.

Pelo que fizeram este ano, especialmente pela consistência com que se apresentaram, os Bulls são os favoritos deste dramático encontro doméstico.

Na Europa são três as finais que se disputarão no sábado.

A primeira delas é a da Magners League, a competição menos competitiva de quantas se disputam entre clubes de várias nações, com a particularidade de todos os participantes serem clubes criados artificialmente pela respectivas federações para proporcionar capacidade competitiva aos seus países.

Mais adaptados à realidade nacional – os irlandeses – ou sem essa preocupação – como os escoceses – a verdade é que os participantes são sempre os mesmos, não havendo despromoções nem novas equipas.

O único interesse competitivo da prova diz respeito à qualificação das equipas irlandesas e galesas para a Heineken Cup, já que a Escócia apura duas equipas e são apenas duas as equipas escocesas na prova, e – na próxima época – a Itália também vai apurar duas equipas e ela terá apenas duas equipas na competição.

Quanto a irlandeses e galeses, cada nação apura três equipas para a Heineken Cup em quatro participantes na Magners, mas, caso o vencedor da própria Heineken Cup ou da Challenge Cup seja de qualquer daquelas nações, a quarta equipa também se apura…

Foi o que aconteceu este ano com o País de Gales, em que o Scarlets – a equipa galesa pior classificada, e portanto não qualificada para a Heineken Cup da próxima época – acabou por integrar o lote das equipas da Heineken, porque o Cardiff Blues conquistou a Challenge Cup e com isso lhe cedeu o lugar.

Ou seja, das 10 equipas que disputaram a Magners League deste ano, nove vão disputar a Heineken Cup do próximo ano, ficando apenas de fora os irlandeses do Connacht, que irão disputar a Challenge Cup…

Mas voltando à final deste ano, o Leinster vai defrontar o Ospreys, com todo o favoritismo do lado dos irlandeses, não apenas com base na consistência demonstrada esta época, mas também na seqüência de seis vitórias do Leinster que não perde para os galeses desde 2007.

Qualquer das equipas já ganhou o troféu por duas vezes, e se o Leinster terminou a fase inicial isolado no comando, os galeses, dos últimos seis jogos realizados na prova, apenas perderam um,  precisamente frente ao seu adversário de amanhã, por 20-16.

E chegamos assim às duas finais mais importantes que representam o melhor que as duas nações mais poderosas do hemisfério norte tem para apresentar: a Top 14 de França e a Guiness Premiership de Inglaterra.

Na Top 14 o campeão em título, o Perpignan vai defrontar o Clermont Auvergne, e a opinião geral dá o favoritismo aos detentores da coroa, apesar do Clermont estar na sua quarta tentativa seguida de segurar o troféu.

Na verdade o Clermont já disputou a final do campeonato francês por 10 (!!) vezes e nunca conseguiu ficar com o título.

Em 2007 perdeu com o Stade Français (23-18), em 2008 a derrota foi por 26-20 com o Toulouse, e no ano passado, frente ao adversário de amanhã, perdeu por 22-13.

Será desta vez que se quebra o enguiço?

Na Guiness Premiership – que na próxima época vai mudar de nome, trocando a famosa cerveja irlandesa por uma companhia de seguros, a LV – o Leicester Tigers parte com vantagem contra o exército sul-africano dos Saracens, ainda mais com a suspensão do Diretor de Rugby do clube de Londres, proibido de entrar em Twickenham.

Esta suspensão está na linha de outras determinadas pela federação francesa de participação na seleção principal do galo, a quatro jogadores que não foram autorizados pelos seus clubes, a integrar a seleção francesa de sevens.

Um duelo entre federações e ligas e clubes profissionais que se sabe onde começou, mas se desconhece onde terminará.

O Leicester vai entrar em campo para disputar a sua sexta final consecutiva, na esperança de conquistar o título da Premiership pela sétima vez, e nos últimos sete jogos desta época apenas perdeu uma vez, precisamente com o seu aversária de sábado, por 32-23.

Das cinco finais que disputou nos últimos cinco anos, os Tigers apenas foram bem sucedidos por duas vezes, a última das quais no ano passado, e os Saracens vão bater-se pela primeira vitória na competição.

No total as duas equipas já se defrontaram em 26 ocasiões com 17 vitórias do Leicester e sete dos Saracens.

Um sábado em cheio!

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

Uma resposta to “O SÁBADO FINAL!”

  1. António Freire Says:

    Pena é o facto de estas finais serem jogadas quase em simultâneo! Acho que as federações deveriam ter tido mais cuidado, perdem audiencias e visibilidade. E ainda falta juntar a final do campeonato italiano às 17h, ou seja, 5 finais das 16h às 19h45, é obra. Acho que me vou ficar pelo super 14 e top 14 e sempre a espreitar os sevens!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: