7 BOLAS CURTAS

1. O MAU TEMPO DEIXOU GRANDES MARCAS NAS COMPETIÇÕES que se deveriam ter disputado nas Ilhas Britânicas, este fim de semana. Dos cinco jogos previstos para a Magners League, apenas se disputou o Edinburgh-Cardiff Blues (21-12), beneficiando das condições extraordinárias de Murrayfield, e do seu relvado aquecido.

2. LI NO PROGRAMA DE CANDIDATURA DE DÍDIO DE AGUIAR à presidência da FPR que crescemos tanto em Portugal que temos hoje 169 treinadores credenciados pela IRB, mas a FIRA diz que temos 88, praticamente metade. Ou será que o Programa de Dídio de Aguiar está a contar com os credenciados, via internet, do Rugby Read?

3. NO MESMO PROGRAMA TAMBÉM SE FALA DE ÁRBITROS e os números também não conferem com os apresentados pela FIRA-ERA, já que aos 40 árbitros credenciados indicados no Programa da candidatura, se contrapõe um numero significativamente menor, que não ultrapassa os 28. Porque será uma diferença tão grande. Deve ser erro da FIRA.

4. A IRB ESTÁ PRATICAMENTE FALIDA, A ACREDITAR nos motivos indicados – graves dificuldades financeiras – para justificar a venda de diversos imóveis de sua propriedade. E para agravar a situação, espera-se uma redução de 25% nas receitas da RWC 2011 face às obtidas na RWC 2007.

5. A FEDERAÇÃO AUSTRALIANA PÔS UM TRAVÃO à prevista voracidade da nova franquia da Super14/15 – Melbourne Rebels – proibindo a contratação de jogadores australianos durante os próximos seis meses, para evitar perturbações nas outras franquias. Por enquanto só estrangeiros, e a crer nos boatos que circulam, vai haver sangria em muita equipa europeia.

6. EM 15 DE JANEIRO DE 1910 TWICKENHAM ASSISISTIU, pela primeira vez, a um Inglaterra- País de Gales. Para festejar o evento, quando, no dia 6 de Fevereiro os galeses visitarem a Catedral, para o Seis Nações, a equipa da casa vai estar equipada com uma réplica da camisola utilizada há 100 anos. Nessa altura os ingleses ganharam por 11-6. Desta vez como será?

7. A IRB CONFIRMA QUALIFICAÇÃO REGIONAL, no caso da Europa no âmbito da FIRA-ERA, para os Jogos Olímpicos e aconselha as Federações Regionais e Nacionais a utilizarem os Sevens como instrumento financiador das suas actividades, através da captação de novos patrocínios. Porque será que por todo o lado se fala em Sevens, e cá pela terrinha se tenha medo da palavra?

VOLTAR A PÁGINA INICIAL

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: